Como criar um site de vendas: Passo a passo prático para vender online

Se você quer saber como criar site de vendas, está no lugar certo. Nesse artigo, vamos dar várias dicas práticas para quem deseja vender online.

Alguns (poucos) anos atrás, só comprava na internet quem tinha coragem. Muito consumidor tinha medo de cair em algum golpe, de ter seus dados roubados, e ainda se perguntava: como garantir que o produto vai chegar na minha casa?

O mercado evoluiu (ainda bem!) e hoje as vendas online fazem parte do dia a dia de muitos consumidores. E a melhor parte disso, sem dúvida, é que qualquer um pode vender pela internet.

É esse o seu caso? Você gostaria de saber quais são os primeiros passos para vender na internet?

Lendo esse artigo até o final você conhecerá o processo básico para criar um site de vendas e comercializar seus produtos ou serviços.

1º passo – Estude o mercado

Construir uma loja online do zero é um processo delicado e extenso, talvez um pouco mais fácil para quem já possui loja física. Apesar disso, criar um site de vendas é possível para qualquer um que tiver interesse.

Se você está aqui, certamente está planejando criar o seu site de vendas em um futuro próximo. Então, antes de qualquer coisa, você deve fazer uma boa pesquisa de mercado.

 Somente com uma pesquisa cuidadosa você vai entender se vale a pena trabalhar em determinado ramo e com que tipos de produto você vai lidar.

Como fazer uma pesquisa simples de mercado

Como saber se existe demanda de um determinado produto ou serviço? O Google Trends pode ser uma ótima ferramenta para análise de pesquisa com termos específicos.

Se você quer vender bicicletas, por exemplo. Uma simples pesquisa com os termos bicicleta masculina (azul) e bicicleta feminina (vermelho) mostra o interesse pelo produto no Brasil

site-de-vendas-3

Analisando os dados, é fácil perceber os picos nas buscas. Além do que, o termo mais procurado nesse caso é bicicleta femininaCom isso, você já tem uma ideia do rumo que deve seguir para vender suas bicicletas.

Outra ferramenta do Google que também pode ser utilizada é o Planejador de Palavras-chave. Essa ferramenta possui uma maior precisão nos resultados. Mas, para utilizá-la, é necessário ter anúncios ativos na sua conta 1do Google AdWords.

O Planejador de palavras-chave do Google informa detalhadamente as pesquisas, como a média de pesquisas mensais e o lance sugerido. Veja abaixo:

site-de-vendas-1

Observe que o termo “bicicleta feminina” é bem popular. Portanto, é um ótimo indicador para você.

Com essa ferramenta também é possível analisar a quantidade de buscas com termos relacionados. Confira:

site-de-vendas-2

Com as palavras-chave relacionadas você pode complementar outras palavras-chave no seu serviço, como: “bicicleta feminina aro 29”, “bicicleta caloi feminina” e “comprar bicicleta feminina”.

Analise seus concorrentes

Sabendo que existem grandes buscas por bicicleta feminina, é hora de criar sua loja, certo?

Não! Um dos processos que a maioria dos empreendedores virtuais esquecem é analisar seus concorrentes.

Não deixe de observar pontos diferenciais como:

  • Frete Grátis;
  • Preço mais baixo que a média;
  • Site rápido;
  • Site intuitivo;
  • Atendimento 24 horas;
  • Diversas formas de pagamento.

Essa prática, chamada benchmarking, é fundamental para que você consiga identificar pontos fortes, que podem ser adaptados à sua realidade, e negativos, que devem ser evitados.

2º passo – Escolha a melhor plataforma

Se você pretende abrir um site de serviços, pode investir em um blog como o nosso. Basta incluir uma landing page com um formulário para as pessoas entrarem em contato com você.

Agora se o seu plano é abrir um e-commerce, você precisa de uma plataforma para realizar funções como editar os produtos disponibilizados, controlar estoque, controlar fluxo de pedidos, enviar nota fiscal, além de outros serviços.

As plataformas de e-commerce brasileiras possuem diversos planos, diferenciadas pela quantidade de produtos disponíveis e o número de acessos do seu site. O importante é identificar cada limitação e escolher a que melhor vai te atender.

Caso não tenha conhecimento, a ajuda de um profissional de e-commerce pode evitar um grande prejuízo no futuro. Mas aqui vai uma lista para ajudá-lo nessa procura:

Plataformas mais populares:

  1. WooCommerce;
  2. Magento;
  3. OpenCart;
  4. PrestaShop;
  5. osCommerce.

Algumas plataformas brasileiras:

  • Dotstore;
  • EZ Commerce;
  • Tray;
  • Vtex;
  • Loja Integrada;
  • Moovin.

Recomendo que você teste várias plataformas, principalmente as Open Source. Caso tenha dúvidas, dê uma olhada nesse artigo.

Análise de concorrentes e opiniões

Você também pode fazer uma busca rápida nos seus concorrentes e verificar as plataformas utilizadas, criar um ranking das mais utilizadas e testá-las.

Importante também é verificar os cases de sucesso de cada plataforma. Algumas possuem grandes marcas no portfólio, o que indica que você estará em boas mãos.

Por fim, não custa nada fazer uma busca em grupos nas redes sociais e identificar as plataformas que estão em alta. Perguntar aos colegas que já trabalham com e-commerce também não ofende! 😉

3º passo – Contrate uma boa hospedagem

Um passo importante para a criação de um site de vendas é a hospedagem.

Ficar na dúvida sobre qual a melhor hospedagem para um site de vendas é comum, não se preocupe! A maioria das pessoas que estão iniciando passam por isso.

O que você deve ter em mente é que a empresa que oferece a hospedagem precisa prestar um serviço de qualidade e com suporte especializado. Isso é o mínimo.

Há diversos planos disponíveis, nesse caso, é necessário verificar qual melhor se encaixa no seu negócio.

Avaliando a hospedagem

Na hora de contratar uma hospedagem, leve em consideração sua reputação, o suporte, idioma de atendimento e a disponibilidade dos atendentes.

Atualmente, a SECNET é a maior referência do mercado brasileiro quando se trata em hospedagem de alto desempenho. Alguns dos motivos são:

  • Suporte especializado – profissionais capacitados oferecem suporte através de Chat, Telefone e Tickets.
  • Disponibilidade – todos os serviços oferecidos pela SECNET possuem alta disponibilidade.
  • Migração gratuita – todo o trabalho de migração é feito pela equipe de suporte da SECNET.
  • Servidores otimizados – todos os servidores são previamente otimizados para obter o melhor desempenho.
  • Serviços gerenciados – monitoramento, backup e suporte são gerenciados pela SECNET.
  • Bônus – certificado SSL grátis por 1 ano.

4º passo – Otimize a experiência do usuário

A experiência do usuário (User Experience – UX) tem se tornado cada vez mais importante na internet, independente do tipo de site que você possui.

Essa técnica tem como principal objetivo satisfazer o visitante conforme sua necessidade. Ou seja, o usuário é colocado como centro do projeto do site, para que esse seja capaz de navegar sem dificuldades e realizar seu objetivo com sucesso. Em um site de vendas, por exemplo, esse objetivo seria a compra.

Para uma melhor análise da experiência do usuário, são feitas pesquisas e testes de usabilidade. Um simples teste, como mudar o tamanho de um botão ou aumentar a fonte de um texto, pode fazer toda a diferença na vida do visitante – e você só vai saber testando!

Vou falar agora sobre alguns cuidados que você precisa tomar para manter a experiência do usuário agradável.

Tenha um site responsivo

O uso de smartphones no Brasil já ultrapassa 168 milhões em 2016, segunda a Folha. Esse é um número que não pode ser ignorado na hora de criar o layout de um site.

Como os acessos vindos de dispositivos móveis está cada vez maior, você precisa ter um layout responsivo para seu site de vendas se adaptar aos diversos tamanhos de telas.

A maioria das plataformas Open Source já possui layout responsivo, mas é importante você conhecer a plataforma contratada e verificar se esse recurso está disponível.

Facilite a navegação

Imagine um supermercado onde os produtos não estão em corredores categorizados. Já pensou no trabalho para encontrar um produto?

Assim é também com o design do seu site de vendas! Por isso, deixe visível as categorias, os preços e as imagens dos produtos. Assim, a navegação pelo site será memorável.

Aposte no contraste entre as fontes e cores de fundo, usando texto escuro em cima de fundos claros ou vice e versa, e sempre otimize as imagens antes de adicioná-las no site, de modo que elas tenham o menor tamanho possível sem perder qualidade. O CompressJPG e CompressPNG podem ajudar.

Procure aplicar também as leis de Gestalt, seguindo um padrão visual que ajude a identificar a sua marca.

Com essas dicas simples, com certeza seu site terá uma navegação simplificada! E, na dúvida, se coloque no lugar do cliente.

Facilite o checkout

O checkout é o ponto mais importante na hora da conversão.

O lead ou cliente acabou de fazer a ação mais importante no seu site, o que significa que ele está muito engajado! Portanto, evite redirecioná-lo para outros sites.

Ao invés disso, aposte em Call to Actions como “continuar comprando” ou “leituras recomendadas”.

5º passo – Não descuide da segurança

A segurança é um pré-requisito para vender online, pois a falta dela coloca em cheque a sua confiança e a credibilidade diante dos clientes – fatores que são vitais para o seu negócio.

Como seu site estará exposto 24 horas por dia, há uma grande probabilidade de ser alvo de ataques. Mantenha sempre atualizado e com um varredor de malware como o SiteLock.

Configure um serviço de CDN como CloudFlare, que auxilia na velocidade do carregamento das páginas e protege contra ataques externos, diminuindo o tráfego de dados entre o servidor e os clientes.

Para passar mais confiança aos seus consumidores, exiba também selos de qualidade, de segurança e de satisfação. Alguns selos recomendados para e-commerces em geral são:

E lembre-se: ao clicar na imagem o usuário precisa ser direcionado para a página oficial da empresa no site do selo.

Outras dicas para tornar seu site confiável você pode ler nesse artigo. 

6º passo – Fique atento às formas de pagamento

Existem três maneiras diferentes de pagamentos em sites de vendas: intermediadores de pagamento; gateways de pagamento e integração direta com o adquirente.

Os intermediadores de pagamentos são usados por empresas que terceirizam o pagamento oferecido. É o mais utilizado para pequenas lojas.

Funciona assim:

  1. O cliente escolhe o produto;
  2. Clica em comprar;
  3. É direcionado para a empresa que terceiriza o pagamento;
  4. Faz cadastro ou login;
  5. Seleciona a forma de pagamento e finaliza a compra.

Esse modelo oferece várias vantagens, como diversas formas de pagamentos disponíveis e análise antifraude por conta do intermediador.

Algumas empresas que prestam esse serviço são:

Já os Gateways de pagamento são máquinas de cartões online. Eles são instalados em um servidor remoto e mantidos pela operadora financeira que autoriza pagamentos de transações feitas em e-commerce.

Na hora da compra, o gateway é ligado com a empresa do cartão de crédito do cliente para fazer a análise de crédito, efetuando ou não a compra.

As vantagens dessa operação são que você negocia diretamente a tarifa das compras, tem maior controle das transações e o cliente não é direcionado para outro site.

Por fim, na integração direta não existe conexão com empresas terceirizadas. Na hora de finalizar a compra, o pagamento é feito pelo próprio e-commerce, verificando se o cartão possui saldo o suficiente para realizar a compra.

As vantagens são que você não tem custo com intermediadores, não há negociação das tarifas e existe maior controle nos pagamentos.

Se seu negócio está iniciando e possui um alto recurso financeiro, a integração direta é uma boa opção. Mas fique atento aos pontos negativos, como:

  • Necessidade de uma equipe especializada;
  • Custo de implementação alto;
  • Normas da PCI (Payment Card Industry);
  • Recursos de segurança disponíveis;
  • Maior possibilidade de Chargeback.

7º passo – Invista em prospecção e retenção de clientes

Se você seguiu os passos anteriores, já tem o básico para começar um site de vendas. Agora é só trabalhar na atração de clientes.

Ninguém consegue clientes sem fazer Marketing. Seja de maneira ativa ou passiva, você precisará investir em estratégias de Inbound e Outbound para bombar o seu negócio.

Ter uma equipe para tocar o Marketing  é o mais indicado. Se você possui dinheiro para investir adequadamente, vale formar um pequeno time. Assim você molda o pessoal para tocar a estratégia de acordo com suas escolhas, prazos e limitações.

Agora, se o seu orçamento está limitado, opte por contratar uma agência especializada. Com certeza, você terá menos custo, já que uma equipe precisa de designers, redatores e social media, e você precisaria passar por toda a parte burocrática da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

Vale lembrar também do Customer Success. 

A competitividade está cada vez maior e por isso, a criatividade também deve estar na área de vendas. Não adianta você ter o melhor produto, mas com um atendimento ruim, e vice-versa.

A proximidade é a melhor maneira de fidelizar seus clientes. Há grandes chances de você voltar a comprar em determinada loja pelo bom atendimento que foi oferecido. Caso contrário você desiste e pode até passar um feedback negativo para os seus amigos. E não é isso que você quer, certo?

Bom, agora que você conhece as ferramentas certas para iniciar o seu negócio, é hora de estudar os artigos indicados nos links e se aprofundar no assunto.

Depois dessas dicas, você está pronto para começar? Se tiver alguma dúvida, deixe nos comentários.

Achou o artigo relevante? Então compartilhe com seus amigos ou colegas nas redes sociais. Não demora nada e você ainda estará levando conteúdo de valor para a sua rede. 

Esse post foi escrito pela equipe da SECNET, uma das melhores hospedagens de sites disponíveis no mercado! Você pode saber mais eles aqui.

E já que falamos de investir em Marketing, não deixe de baixar nosso ebook para fazer Inbound e Outbound como um profissional. É só clicar na imagem abaixo. ?

ebook-inbound-e-outbound