capa como trabalhar em uma startup
Gestão

Como trabalhar em uma startup? 7 dicas para você garantir a vaga

Trabalhar em uma startup é o sonho de muitos. Isso porque esse tipo de empresa oferece um ambiente descontraído, criativo, dinâmico e flexível. Além disso, você tem autonomia para tomar várias decisões, só precisa ser responsável pelos seus resultados. Porém, como trabalhar em uma startup?


Startups são empresas que, até em cenários de crise, podem acabar surpreendendo e transformando a forma de ver o mercado.

Cada vez mais, as startups vem atraindo o interesse de quem quer entrar para o mercado de trabalho ou até mesmo mudar o rumo da carreira, como foi o meu caso.

E esse cenário tem sido recorrente, principalmente entre os mais jovens.

Além do ambiente descontraído, criativo, dinâmico e flexível, as startups também permitem o desenvolvimento de várias habilidades e aprendizados constantes.

Esse mercado vem ganhando cada vez mais força ao propor escalabilidade de maneira replicável por meio da tecnologia e de recursos digitais.

Então, se você faz parte do grupo formado por quem quer trilhar o caminho do sucesso entrando na startup dos seus sonhos, fique atento às dicas que vou passar agora 🙂

Dica #1 Autoconhecimento

Uma das coisas mais importantes na vida, não só para processos seletivos, é conhecer a si próprio. É a partir desse conhecimento que você terá uma melhor noção, por exemplo, se aquela vaga é para você ou não.

Você está disposto a trabalhar em uma empresa que muda seus processos diariamente, totalmente colaborativa e cheia de riscos?

Piscina de bolinhas e cerveja gelada no happy hour são parte da realidade, mas antes disso é preciso saber lidar com autonomia, liberdade, gestão de tempo e ter responsabilidade para manter sua produtividade.

E por isso é tão importante o autoconhecimento.

Dentre os muitos atrativos de uma startup está a possibilidade de desenvolver habilidades técnicas e comportamentais, além de trabalhar em um ambiente dinâmico que se encontra em constante evolução. 

Different people thrive in different environments; the key is finding what works for you. If that isn’t a startup, don’t force something that doesn’t come naturally.

Like Gary Vee says: You have to understand your own personal DNA. Don’t do things because I do them or Steve Jobs or Mark Cuban tried it. You need to know your personal brand and stay true to it.

Traduzindo:

Pessoas diferentes prosperam em ambientes diferentes, a chave é encontrar o que funciona para você. Se não é uma startup, não force algo que não é natural.

Como Gary Vee diz: Você precisa entender seu próprio DNA. Não faça coisas porque eu faço ou Steve Jobs ou Mark Cuban tentaram. Você precisa conhecer sua marca pessoal e permanecer fiel a ela.

Dica #2: Aprenda tudo o que puder sobre a startup

Essa é uma dica que não vale apenas para startups, vale para qualquer outra empresa do mercado.

Além de ter bons relacionamentos e estar sempre motivado, saber o que a startup faz e como o mercado em que atua funciona é um pré-requisito básico.

Não adianta entrar em um jogo sem saber as regras básicas, não é mesmo?!

E, por isso, é importante você fazer o seu dever de casa e entender o core business (núcleo do negócio) da empresa.

Se você não sabe o que é essencial saber, sugiro começar pelos 4 Cs:

  • Company (companhia ou empresa);
  • Culture (cultura);
  • Customers (clientes)
  • Competition (competidores).

Afinal, se você está realmente motivado, você deveria saber todas essas informações decoradas, não é mesmo? Acredite ou não, esse é um dos fatos que mais transparecem durante uma entrevista ou dinâmica.

É fácil perceber quando uma pessoa não estudou, ela fica perdida na comunicação.

Há ainda a possibilidade de elevar essa pesquisa a um outro patamar. Seja autodidata e pesquise a fundo sobre a empresa e seus colaboradores.

  • Quais cursos eles exigem?
  • Quais conteúdos eles consomem?

Você só tem a ganhar ao saber mais sobre a empresa e entender melhor sobre o funcionamento dela.

Dica #3: Tenha uma atitude positiva e sangue nos olhos

Toda startup nasce de um sonho de mudar o mundo ou, pelo menos, revolucionar a maneira como certas atividades são feitas.

Caso queira entrar em uma startup, esteja preparado para acreditar em algo que poucos acreditam e comprar a ideia motivação, suor e disposição. É isso que as startups procuram.

As pessoas que trabalham em startups não se importam em trabalhar várias horas a mais por dia para fazer a empresa obter resultados positivos mais rápidos.

Aliás, essa pessoa deve se comprometer muito mais com os resultados do que com as tarefas propriamente ditas. Ser multidisciplinar e fazer acontecer é um grande diferencial.

Além disso, equilibrar velocidade e qualidade é um grande desafio que você terá que encarar quando chegar em uma startup.

Então, seja apaixonado pelo que faz, foque nos resultados, mostre vontade e sangue nos olhos para fazer com que todo o seu esforço faça sentido.

Dica #4: Esteja pronto para responder perguntas

Lembra da primeira dica sobre autoconhecimento? Ela tem alto impacto no momento de responder perguntas também.

Montar um currículo com grafia correta, informações verdadeiras, com um breve resumo das suas experiências profissionais e os cursos que você fez é o mínimo que se exige.

Mas saiba que dar boas respostas é o que coloca você em evidência.

Aproveite o momento das perguntas e respostas para apresentar seu diferencial, seu perfil profissional e dizer aquilo que seu currículo não conta.

Conhecer a si mesmo faz com que seja muito mais fácil responder perguntas que parecem ser difíceis em um primeiro momento, como:

  • Quais são os seus defeitos?
  • Quais são as suas qualidades?
  • Por que você acha que merece essa vaga?
  • Por que eu deveria contratar você ao invés de contratar outro candidato?

Essas são perguntas que podem desbancar muitos candidatos que jamais pensaram em conhecer a si mesmo!

O currículo diz muito sobre suas experiências profissionais, mas procure maneiras de mostrar seus talentos únicos e suas habilidades fora do padrão de um currículo.

Em complemento ao esteja pronto para responder perguntas, vem a próxima dica:

Dica #5: Esteja pronto para perguntar

Aqui eu não estou falando sobre perguntas bobas que só servem para mostrar que você está interessado no processo seletivo.

Boas perguntas devem ser focadas em pontos que ninguém mais pensou, nos pontos chave para o entendimento da solução:

  • Será que a estratégia da empresa está clara?
  • Será que a empresa já sabe qual é o perfil de cliente ideal?
  • Será que a empresa já sabe quais vão ser os principais canais de comunicação?

A verdade é que muitas startups que estão começando ainda não tiveram muito tempo para estruturar as suas estratégias em todos os setores internos.

Uma grande oportunidade para alguém focado em resultados, certo?

Não tenha medo de dar feedbacks, positivos ou negativos. Essa é uma boa forma de demonstrar que você estudou e está ali para fazer a diferença ao invés de apenas aceitar o que está sendo falado.

Dica #6: Cultive bons relacionamentos

Você já reclamou ou já ouviu alguém reclamar que alguma pessoa foi contratada ou promovida porque tem QI, não é?

Sim, QI, o famoso Quem Indica.

Apesar de não ser comprovado que isso é levado em consideração nesses momentos, ter um networking forte, com pessoas que conhecem o seu trabalho e confiam em você, é muito importante.

Apesar de não serem decisivas no momento da contratação, uma boa indicação é um ponto extremamente relevante em qualquer cenário. Por quê?

Porque abre as portas para que você mostre todo o seu potencial.

Nada é melhor para um recrutador do que, em um momento de muita indecisão, surgir uma referência de alguma pessoa reconhecida pelo mercado.

Então, minha dica é essa: construa um bom networking e cultive relacionamentos saudáveis e estratégicos. Provavelmente você será lembrado em boas oportunidades ao longo da sua carreira.

Dica #7: LinkedIn

O LinkedIn é uma rede social voltada para negócios, o que diminui a distância entre as pessoas. Afinal, lá você encontra empresas e potenciais candidatos, não é?

Conectar-se ao seu recrutador ou às pessoas da empresa em que você está interessado permite que você tenha mais conhecimento sobre os passos seguidos por elas e com quem essas pessoas interagem.

Além disso, você demonstra interesse genuíno.

Não estou dizendo para sair stalkeando todo mundo, beleza?! Fazer um bom uso dessa plataforma pode abrir portas.

Seja para consumir os conteúdos postados pelas empresas que são do seu interesse, ou para interagir com os colaboradores, ou para tomar conhecimento das vagas recentes.

O que você precisa é encontrar formas de se fazer presente e tornar-se conhecido.

Conclusão: por que trabalhar em uma startup?

Espero que essas dicas possam ajudar você a se preparar melhor para um processo seletivo na empresa dos seus sonhos.

Startups são ótimas empresas para se trabalhar. O aprendizado constante, a flexibilidade, o ambiente descontraído e criativo são fatores que, certamente, conquistam.

O mercado está cada vez mais competitivo e aconselho muito que você não se dê ao luxo de entrar despreparado para uma situação como essa.

O esforço existe, sim, mas ele pode ser extremamente recompensador mais tarde.

Então, não foque no curto prazo, mas pense em como esse esforço de alguns dias pode acabar mudando a sua vida para sempre.

Será que não vale a pena perder umas horas de sono para chegar lá?

Seja educado e lembre-se de responder aos emails da empresa. Procure saber o que aconteceu ou se alguém já foi contratado, mas não seja um candidato chato que envia email e liga todos os dias.

Nesses casos o bom senso é sempre um grande amigo.

Outbound Go

1 comment

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *